LIMÃO INFORMA: Bia vira mais uma e faz semi inédita na Era Aberta

LIMÃO INFORMA: Bia vira mais uma e faz semi inédita na Era Aberta

Imagem da LIMÃO INFORMA: Bia vira mais uma e faz semi inédita na Era Aberta

Melbourne (Austrália) - A parceria da paulista Beatriz Haddad Maia com a cazaque Anna Danilina está imparável na Austrália. Campeãs do WTA 500 de Sydney, as duas mantiveram o embalo no Australian Open e já estão nas semifinais. A vaga veio com mais uma vitória de virada, batendo a sueca Rebecca Peterson e a russa Anastasia Potapova com parciais de 4/6, 7/5 e 6/3, após batalha de 2h05.

Bia se torna a primeira brasileira semifinalista na Austrália em toda a Era Aberta e tem o melhor resultado para as mulheres do país desde a semifinal de 1965 de Maria Esther Bueno, que tem ainda um título no torneio, conquistado em 1960. Com a campanha da canhota paulista, o Brasil consegue o feito de ter representantes em duas semifinais seguidas de Slam, já que Luísa Stefani chegou à penúltima rodada do US Open de 2021.

Depois de conseguirem a oitava vitória consecutiva da parceria, Bia e Danilna vão desafiar nas semifinais a Shuko Aoyama e Ena Shibahara, cabeças de chave 2, que derrotaram a croata Petra Martic e a norte-americana Shelby Rogers com parciais de 6/1 e 6/4. As nipônicas tentarão dar o troco, já que foram derrotadas pela brasileira e a cazaque na semi de Sydney.

"Foi um jogo incrível. Não foi fácil para se sentir e jogar 100% bem. Sei que não jogamos o nosso melhor tênis, mas tentamos lutar e subir o nosso nível. Sabíamos que no tênis as coisas mudam muito rápido", disse Bia Haddad Maia, durante a entrevista em quadra. "É uma loucura pensar em quantas partidas nós estivemos em situações difíceis. Então estávamos mais fortes e só continuamos lutando. Acho que é por isso que estamos na semifinal".

A partida foi de alternâncias e chances para ambos os lados. Bia e Danilina largaram na frente e venceram os dois primeiros games, mas as rivais reagiram prontamente e empataram em 2/2. A definição do primeiro set foi acontecer somente na reta final, quando Peterson e Potapova conseguiram nova quebra no nono e penúltimo game, para na sequência fechar a parcial.

No segundo set a história foi parecida, mas com papéis invertidos. Peterson e Potapova é que saíram na frente com o primeiro break, que veio no terceiro game, mas quem levou a melhor foram a paulista e a cazaque, que chegaram a empatar em 3/3, perderam o saque na sequência, voltaram a buscar o empate no 4/4 e no 12º game obtiveram a quebra levou o jogo para o terceiro set.

O equilíbrio foi ainda maior no set decisivo, em que foram raras as chances de quebras. Bia e Danilina tiveram apenas uma, no sexto game, e não a deixaram passar. Já as rivais só foram ameaçar o serviço da paulista e da cazaque quando elas sacaram para o jogo em 5/3, perdendo os três primeiros match-points do game e salvando depois um break-point solitário, para enfim selar a vitória e a vaga na semi.

 


Fonte: https://tenisbrasil.uol.com.br/noticias/93177/Bia-vira-mais-uma-e-faz-semi-inedita-na-Era-Aberta/